Trapos

Ontem fui visitar a avó. Levei-lhe um lanche mas não encontrei lobo pelo caminho… Lá estava ela, sempre atarefada nas suas mais curiosas missões criativas. Desta vez havia uma poltrona em cima da mesa da cozinha virada de pernas para o ar – já estava na hora de a estofar.
E quem tem uma avó como a minha sabe que o melhor de tudo nestas visitas é que vem para casa com as mãos cheias. Ela, antiga costureira e eu, aprendiz nas ciências dos trapos damo-nos muito bem. Os seus quartos vão aparecendo mais arrumados, os meus vão ficando mais pequenos.

Zero e muitos

– Mãe, já são zero e muitos?

– Hmm…?

– Já são zero e muitos..?

– … São oito horas…

– Então já são zero horas! Quero levar os ténis novos para a escola!

Chá preto é sempre a minha salvação.

Scroll to Top