achados : finds

em segunda (?) mão

salvo do lixo

salvo do lixo

Se tivesse uma loja seria de artigos em segunda mão. Só quem partilha o prazer de procurar, encontrar e salvar peças com potencial sabe do que estou a falar.
O Chico Bento é das personagens mais acarinhadas cá em casa, é sempre bem-vindo. Latas com personalidade nunca são demais, com tanto que há para organizar por aqui. E o crochet, dias e dias de trabalho de amor e esperança, quem sabe um presente dedicado a quem não soube dar valor – como poderia eu deixá-lo no fundo de um caixote à espera do fim?

achados

Janeiro 1969

Bolinha

Julho 1969

Luíza

Gasparzinho

Nem sabia que me lembrava deles mas a memória não falha. Devem ter passado pelas minhas mãos quando ainda nem sabia ler. Fazem parte de um tempo que já não volta mas que continua cá dentro – não os podia deixar ficar na banca da feira de velharias.

calendários II

calendários

calendários

calendários

calendários

Não sei se por, a certa altura, ter deitado a minha coleção de calendários fora, se por as ilustrações me levarem para um tempo que ainda é meu e já parece tão longínquo, a verdade é que me sinto na obrigação de os trazer para casa.

vidas que ficaram escritas

de 26.12.1917

Tomar 26/12/917

Meu querido Paezinho
Estimo que este bilhete o va encontrar de perfeita saude. Eu estou melhorzinho e tambem estou melhorzinho do meu joelho.
Paezinho estou em casa da minha avozinha como sabe estou muito bem e ja pareço outro estou sempre haver quando o meu paezinho vem.
Meu paezinho a tia Diolinda e a tia Alzira (?) com migo ao Passo (?), buxas, bolos dos mais (?) no dia dos meus anos.
Pae hoje nao infardo mais. Receba mil beijos deste seu filho que mil saudades lhe dirije comprimentos

Ninguém imagina a emoção que estes velhos postais por aí encontrados provocam em mim. Este foi encontrado ontem numa feira de velharias daqui da vila, no meio de tantos outros. Ao ler alguns deles (ou a tentar ler porque a letra por mais linda que seja é muito pequena) apercebi-me de passagens da vida de uma família cujo pai esteve na 1ª guerra mundial, deixando mulher e filho em Portugal, que de postal em postal vão partilhando as suas saudades, as suas preocupações, o seu amor.
Devia ter trazido todos os postais que encontrei desta família. Para a semana vou lá outra vez.
Se, por feliz acaso, alguém tenha conhecido uma família Silva da zona de Tomar / Leiria com história idêntica, que me contacte – eu adorava devolver este tesouro a quem ele pertence.

Agenda do Lar


Um verdadeiro achado, a “Agenda do Lar – 1972”, da Editorial O Século. Encontrei-a no meio de tantos outros livros, numa loja de artigos em segunda mão. Está como nova, sem qualquer rabisco ou cheiro.
Como agenda que é, vem repartida em meses, semanas e dias.
Cada segunda-feira é brindada com um “Rol da Lavadeira”, onde se encontra uma lista exaustiva de todas as peças de vestuário a lavar naquele dia.
No fim de cada mês, encontra-se a ” Estatística do Lar”, onde se enunciam as despesas do mês e se podem comparar com as do mês anterior, calculando o ” saldo em caixa para o mês seguinte”.
Para além disso, umas páginas dedicadas às taxas postais dos correios, lista muito detalhada e informativa, onde fiquei a saber que na altura, as taxas postais para Espanha e Brasil eram iguais às do serviço nacional.
O preço que me custou? 0,50!

eu respigo

Carregar um saco cheio de livros encontrados na rua debaixo de sol ardente é para mim um prazer enorme.

da garagem


A escola dos anões, uma história de Marianne Bock-Hartmann, desenhos de Felicitas Kuhn, Editorial Infantil Majora.

Este tempo tem trazido algumas coisas boas. Tenho conseguido convencer a família a abrir as caixas esquecidas ao longo dos anos. Muito pó, muita humidade, e muitos ahhhhs e ohhhs de momentos que se julgavam perdidos e que afinal ainda lá estão, dentro de quem os viveu.

E não há dúvida. Os brinquedos deixam marca, ajudam a descobrir quem somos, a construir os nossos sonhos, a descobrir quem queremos ser.
E uma boa notícia no jornal Telegraaf: a campanha Feed Me Better, que Jamie Oliver iniciou em 2004 pelas cantinas das escolas britânicas está a dar frutos, como seria de esperar. As notas estão a subir, as faltas por doença estão a descer, e as crianças estão mais calmas.
Scroll to Top