sacos : tote bags

o que esconde a mala de uma menina?

o que cabe na mala de uma menina?

o que cabe na mala de uma menina?

o que cabe na mala de uma menina?

o que cabe na mala de uma menina?

Na mala, a menina leva tudo aquilo que mais precisa para sobreviver a um longo dia de piquenique: leva prato, travessa, copo, garrafa, fruta, guardanapo, talheres, jarro de flores e o seu peixe dourado.

dos meus dias

novos sacos

novos sacos

Tenho andado as últimas semanas a fazer sacos de inverno para a Kutchi Shop, em Barcelona. Já lá estão, espero que agradem a nuestras hermanas.
A vontade de criar um novo boneco tem tomado conta de mim. Ao mesmo tempo que fazia os sacos já o magicava. Agora, entre encomenda entregue e encomenda por começar, tenho dedicado todos os minutos a decifrar esta ideia e torná-la palpável. É obsessivo. A mente não consegue deixar de pensar e repensar na melhor maneira de chegar àquilo que idealiza.
Amanhã já mostro um pouco, se tudo correr bem.

sacos

na oliveira

Adoro esta oliveira. Deve ter uns dez anos, foi plantada quando regressei a Portugal. Tem crescido bem e espero vê-la crescer ainda mais.

saco

saco

Os sacos, esses, estão disponíveis aqui.

saldos de verão – parte I

mini-avental

mini-avental

mini-bolsa

mini-bolsa

mini-bolsa

mini-saco

As férias estão a chegar. Com elas quero ter tempo para brincar, cozinhar, lêr, passear – tudo em companhia do M., que está quase quase a acabar o seu segundo ano escolar.
Assim, e antes que a rotina diária mude por completo, decidi comemorar o fim desta época de muito trabalho com uma baixa de preços em algumas peças (ver aqui).

Primavera


A chegada da Primavera traz consigo a vontade de trabalhar na terra, do contacto directo com a natureza – é lá que me sinto verdadeiramente feliz, de coração a transbordar.
No passado sábado, dia de limpar Portugal, fomos sujar um pouco as mãos ao pedaço de terra da minha avó. Porque se queremos mudar o mundo devemos começar por nós, pela nossa casa. Parece que está na moda ser voluntário mas apenas fora de casa – por dentro, da casa, da família e da pessoa em si, não há voluntariado nem altruísmo que o valha, na maioria dos casos.
Três adultos e duas crianças limparam ervas-daninhas que chegavam aos joelhos, cortaram galhos que impediam passagens, pisaram lama, subiram árvores, riram, transpiraram – e fizeram a diferença.
Tenho andado para fotografar uma data de sacos que fiz mas ainda só consegui tirar a estes.

levar o campo ao ombro

*foto by Miguel
Agosto sempre me pareceu uma ilusão. Depositamos nele tantas esperanças e desejos, quando afinal é apenas um mês de transição. Se calhar a culpa não é dele. Nós é que lhe damos importância a mais.
Cerejas. Vermelho e verde. Portugal.
Scroll to Top