Rústica

Ser a moça mais linda do povoado Pisar, sempre contente, o mesmo trilho, Ver descer sobre o ninho aconchegado A benção do Senhor em cada filho Um vestido de chita bem lavado, Cheirando a alfazema e a tomilho… Com o luar matar a sede ao gado, Dar às pombas o sol num grão de milho… … Ler mais

Da vida

Andam cá por dentro umas palavras a querer sair, mas eu vou guardando-as, porque não quero magoar ninguém e porque o que lá vai, lá vai. Mas está-me aqui no estômago, a querer explodir, a cimentar-me as paredes… E o que mais quero é abrir as janelas e deixar o ar passar. Surpreenderam-me com um … Ler mais

Ainda do fim-de-semana

O Oceanário de Lisboa é para nós uma espécie de refúgio para os dias de grande calor. O M. não se cansa de lá ir e nós também não. Pensei que estaria quase vazio mas enganei-me redondamente. Mais uma vez me conseguiram surpreender pela negativa muitos portugueses pela sua falta de higiene, educação e interesse. … Ler mais

Não me esqueci

Diz que quando for cientista que me inventa mais uns dois braços para eu ter tempo de fazer tudo o que tenho para fazer. Dois não, quarenta. Quarenta fica mal, oito, como um polvo. Já tinha pensado nisso… Não chega. O dia não chega para nada. Quanto à noite, tenho andado a ver se a … Ler mais

O tempo pergunta ao tempo…

O tempo e a sua gestão começa a ser uma questão cada vez mais importante para mim. Nunca gostei da sensação de perder tempo. Infelizmente, raro é o momento em que não penso noutras coisas que poderia estar a fazer. Durante uma conversa posso muito bem estar a pensar num novo padrão para um saco … Ler mais