Wilma

Wilma

Wilma

Tenho a honra de ter herdado da minha avó a capacidade de ver caras por todo o lado. E de levar essa capacidade a sério também. Agora vejo por duas e rio por duas. E tiro fotografias para mais tarde lhe mostrar.
Aqui está a Wilma Flinstone. 

9 comentários em “Wilma”

  1. Sabes que me acontece o mesmo… lembro-me particularmente das caras que via nos mosaico hidraulicos malhados da antiga casa de banho dos meus pais, na qual voltei a viver quando casei, e as caras ainda lá estavam todas! Um dia destes tiro uma foto e mostro-te o pintainho que vejo na tampa do esterilizador de biberons da M 🙂 Beijinhos

    Responder
  2. que giro… eu sempre vi imagens e figuras nestas escamurças das paredes e nos desgastes de algumas pinturas! quando falava nisto as pessoas diziam que tinha uma imaginação fértil… com o passar dos tempos percebi que, realmente, não conhecia mais ninguém que o fizesse… até uma amiga me ter falado dos "invisiveis" da Ana Ventura e agora ver este teu post…! Afinal há mais mentes de imaginação fértil e não sou a unica… que bom que é ver que há quem veja para lá da mancha!
    A tua Wilma é linda!
    Beijinhos da costa alentejana, Xana

    Responder
  3. Na casa-de-banho dos meus pais também havia mosaicos com umas "nuvens" onde eu sempre vi várias formas que ainda hoje, quando lá vou, reconheço. E continuo a ver formas, sobretudo no mármore das estações de metro, quando estou à espera. Muito boa esta Wilma!

    Responder

Deixe um comentário