boas festas

Há pouco mais de um ano a minha vida mudou muito. Foi-se a mulher que me criou e chegou a mulher que eu estou a criar. Tudo em poucos dias. Como se uma tivesse que dar lugar a outra. Agarrei-me às paredes do corpo para segurar a alma. Segurei-me de tal forma que deixei de sentir muita coisa. Deixei de conseguir chorar. Deixei de conseguir dormir. Deixei de conseguir descansar. 
Hoje venho aqui desejar-vos boas festas, agradecer-vos mais uma vez a vossa visita, a vossa companhia. Agradecer ainda mais àqueles que investem uns minutos do seu dia para deixar um comentário porque um blog sem comentários é um blog triste, que fala sozinho e que pondera calar-se um dia.
Venho também lembrar que esta época não é uma época de consumo, que ninguém é obrigado a dar presentes a ninguém, que tudo isso é uma invenção dos dias modernos e nada natural – nem humano. Que esta é uma época para se estar em companhia daqueles que nos são mais queridos, com tempo, para se estar presente, inteiro. É a época de dar luz à casa, de limpar a casa, de aquecer a casa. E com a casa, a família, o coração, a alma. 
E é isto que vou fazer. Parar, sentar, brincar. Volto no novo ano.
Um feliz natal e um próspero 2013 a todos!

50 comentários em “boas festas”

  1. Deve ter sido por essa altura que cá cheguei a primeira vez, pois esses são dos primeiros post que me lembro de aqui ler. Lembro-me particularmente da "história" da Maria Alecrim, que me deixou de lágrima no olho.
    Tenho voltado pelos trabalhos, mas também pelas palavras sempre certas

    Um Beijo
    Maria

    Responder
  2. que reflexão tão bonita!
    esta devia ser uma época de no darmos aos que amamos, de alma e coração, e não de dar presentes materiais e sem personalidade! este também é uma época de perdas para mim, mas este ano também há uma boa nova a caminho. em março, um novo ser vem preencher os nossos corações e as nossas vidas… vem adicionar ainda mais amor àquele que já nos une!

    obrigada por estas palavras simples mas tão preenchidas de substância!

    beijos da costa alentejana e votos de uns dias repletos de amor e partilha,
    Xana

    Responder
  3. Que post tão bonito, gostei muito de o ler ! Venho cá há pouco tempo e não fazia ideia pelo que tinhas passado … lamento muito pois não imagino tal dor.
    Este Natal não deve ser fácil mas desejo-te umas festas com muita saúde e com o calor daqueles que te rodeiam.
    Boas Festas

    Responder
  4. Adorei este post. Sigo-te há pouco tempo mas já conhecia o teu projecto antes. Também já perdi a mulher que me criou e sei o quanto custa. O que nos resta é sempre o amor e isso ninguém nos tira.

    Quanto às prendas, não podia concordar mais. Este ano era para estar muito ocupada a fazer prendas, a preparar coisas, a dormir pouco e render menos no trabalho que tenho a tempo inteiro. Vou levar vinho e doces para alegrar a mesa (o entusiasmo de fazer uma tarte ou umas bolachas para a quadra suplanta o consumismo). E viver o Natal. 🙂
    Felizes festas para ti e para os teus*

    Responder
  5. É humano é! Não os presentes frutos do consumismo mas o que são da alma, que vêm da convivência diaria, dos que dizem "conheço-te bem!"; "amo-te!", os que reunem a família e contam histórias, as histórias que vamos lembrar quando ficarmos mais sós na presença física. As memórias fazem-se pelos afectos mas também pelos rituais onde os celebramos. Gosto que me transmitam amor…. Feliz Natal! Nasceu o Amor, celebremo-lo.

    Responder
  6. Olá Virginia, sei o que sentes, mas são esses pequenos momentos que nos fazem tão bem, também estou/sou como tu, também me agarrei à alma e por vezes fico a pensar porque é que já não sinto tanto como antes, porque é que já não durmo como antes… enfim desafios da vida, se assim se podem chamar.
    Desejo a ti e à tua linda família um Bom Natal e um Ano Novo com muitas boas entradas.
    Beijinhos
    Sónia

    Responder
  7. As mudanças de vida são sempre complicadas, mas acabamos sempre por descobrir forças que desconhecíamos ter. Eventualmente tudo voltará à "normalidade". 🙂
    Muito obrigada e igualmente.
    E não cales o blog, seria muito triste. O teu trabalho é fantástico. A lebre que mora cá por casa ficou apaixonada desde a primeira hora pelo bebé que andava em construção, há já muito tempo. Há notícias dele? 🙂
    Boas Festas

    Responder
  8. Se depender de mim, este não é um blog triste. Por isso aqui fica o meu primeiro comentário.
    Conheci este blog com o post (maravilhoso) sobre o Mia Couto, há poucos dias.
    O post de hoje é mais um que enche o coração: sim, também para mim é isso o Natal.

    Agradeço a partilha generosa dos seus textos bonitos e desejo um feliz Natal e ano novo!

    Responder
  9. Costumo visitar diáriamente o seu blog e nunca faço comentários mas com o post de hoje percebi que é importante mostrar o quanto gosto de aqui vir! Concordo plenamente com o seu conceito de Natal! Felicidades e Boas Festas

    Responder
  10. Virgina, um bom Natal para ti e para a tua família!

    Concordo com muito do que dizes em relação às prendas, ao consumo fácil…
    As trocas de prendas tornaram-se, em muitas situações uma coisa descaracterizada, quase uma obrigação e este espírito também me entristece.
    Porém gosto de dar, nem que seja um postalinho feito por mim, como fazia ainda em criança e distribuia a todos na família. Era a minha prenda e esmerava-me por pintar cada um na perfeição.

    Nem todos os dias escrevo aqui ou noutros lugares…e talvez por isso não acho que os blogs que são vistos e apreciados tendam a calar, só porque não existem comentários.

    Sim, mas sabe sempre bem ouvir, de vez em quando uma palavra amiga. Aqui fica hoje a minha, desejando-te Boas Festas e um Feliz 2013!

    Responder
  11. Aproveito a ocasião para retribuir os votos de feliz Natal! Confesso que fiquei emocionada com as suas palavras. Este blogue é uma inspiração, pelo que eu é que agradeço a possibilidade de espreitar o "amo-te mil milhões". Um ano 2003 cheio de amor e paz! Joana

    Responder
  12. Feliz Natal Virgínia. Também perdi a minha mãe na altura em que estava grávida da minha filha mais velha. Não perdi só a minha mãe, mas a estrutura familiar que sempre me suportou porque já tinha perdido também o meu pai. A família e os amigos são o mais importante que podemos ter. Pessoas. Sempre pessoas. Um abraço nestes dias em que as ausências são ainda mais vazias do que nos outros.
    E num mundo paralelo, a que muitos chamam de virtual, um blog é uma forma de amizade, são palavras quentes em dias frios, fotografias que nos levam a viajar noutras vidas, é companhia que se faz a muitas pessoas que se revêm e inspiram nestes blogs. Mas devemos fazê-lo só e apenas porque queremos e porque gostamos, de uma forma natural, sem esforço. E descansar também faz parte de todo o processo e da genuinidade da nossa vontade.

    Responder
  13. Um abraço a todas que aqui se encontram. São 31 mulheres, 31 famílias, 31 casas!

    Sílvia Silva, não fazia ideia que tinhas passado por isso também. A gravidez não devia ter que lidar com a morte, muito menos de alguém tão importante nas nossas vidas. Mas ficamos mais fortes, prontas para levar com qualquer tempestade…
    Quanto a blogs, eu gosto muito deste meu canto, já encontrei a minha voz e ela vai ditando de uma forma muito natural as palavras que vou escrevendo. O cansaço vem dos dias de mãe que ainda dá de mamar de dia e de noite (sim) e que tem roubado muitas horas ao sono para poder fazer aquilo que tanto gosta.

    Um resto de ano bom a todas!!

    Responder
  14. Ola!
    Venho aqui já muito tempo. Gosto muito e sinto-me muito bem com tanta dádiva partilhada e por mim recebida.
    Sinto-me em casa, com calor na alma.
    Obrigada por este Blog.
    Um FELIZ Natal para si e os seus.
    Beijinhos
    Maria Antónia Forjaz

    Responder
  15. Conheci-a agora… mas fiquei feliz, porque partilho a sua opinião, e cá em casa só as crianças têm prenda..sim, só uma, porque têm que se habituar a dar valor ao que recebem. De resto, muito mimo, muitos risos, muitas saídas..isso sim, é NATAL!

    Beijinho e Santas Festas

    Responder
  16. a Virgínia tem uma vida preenchida de afectos de que cuida tão bem. Por isso, aquilo que eu lhe desejo para 2013 é a conquista do tempo. Para si, para outras coisas de que gosta tanto, para passar para o pano aquilo que sonha pôr em prática e nem sempre consegue. Um grande abraço. Luísa

    Responder
  17. Virgínia,
    não temos tido noticias suas há já algum tempo, por isso espero que esteja tudo bem consigo e os seus e que esta ausência seja só um momento de reflexão e de tempo com os que mais ama!

    beijinhos saudosos da costa alentejana,
    Xana

    Responder

Deixe um comentário