inspiração: Ana Thomaz

Decidi parar de trabalhar por uns tempos para conseguir me ouvir novamente. Quando escolhemos trabalhar em casa, a fazer o que mais gostamos e para estar mais próximo dos filhos não imaginamos que podemos repetir os mesmos passos que nos fizeram sofrer ao trabalhar fora de casa. Eu cheguei a um ponto em que trabalhar … Ler mais

Eu quero

Dizem que devemos pedir alto e em bom som aquilo que queremos. A minha avó garantia-me que a palavra falada tinha poderes mágicos. Afinal, antes de tudo ser, já o verbo era. Eu não sou muito de pedir mas a verdade é que das poucas vezes que assumo algo que quero, esse algo aparece-me aos … Ler mais

ano vai, ano vem

Ano vai, ano vem e nós dentro desta roda viva que é o tempo, aquele que talvez não existisse se não houvesse o ser humano para o medir. Eu gosto deste ritual de chegar ao fim de mais uma etapa e celebrar o início de outra. O ano novo é uma grande segunda-feira. Dezembro costuma … Ler mais

o que a minha casa diz de mim

A minha casa diz quem sou. Diz ela que gosto de liberdade, de expressão, de criatividade. Que me contenho muito porque a vontade era deixar escrever pelas paredes fora, pela casa fora (pelo prédio fora, pela rua fora).  Diz ela que não é apartamento, porque sabe que os apartamentos me aborrecem. Com um pouco de … Ler mais

37

Esta carangueja de casa 8 com ascendente em sagitário concluiu 37 voltas ao sol há uns dias atrás. Embora a vida me passe a correr sinto que sou cada vez mais eu. O Universo é a minha casa. A terra é o meu colo. Este ano quero limpar a minha casa, a minha vida, o … Ler mais

a vida é um carrossel

Muita coisa tem acontecido nas últimas semanas. Perdi um tio, tenho uma mãe doente, tenho filhos  que precisam de uma mãe presente e feliz para que assim possam crescer em amor e segurança, tenho um marido que me atura as poucas horas dormidas, uma casa a pedir igualmente atenção e encomendas à espera a que … Ler mais

a importância de um auto-retrato

Olhar o espelho. Demorar ali algum tempo, olhos nos olhos. Não nas ancas, não nas rugas, não nos cabelos brancos – nos olhos. Olhar tão fixamente que nos sentimos a entrar num outro estado. O que vejo quando olho nos meus olhos? Reconheço-me? Sou a mesma, por dentro e por fora? Sou quem era? Sou … Ler mais